Cruzeiro das seis Pontes: descobrir e apreciar o património histórico do Porto e de Gaia

Vínhamos da Afurada, em Vila Nova de Gaia, onde almoçámos maravilhosamente, e o nosso destino era o Cais de Gaia. Quisemos deixar o carro relativamente longe, pois era necessário "queimar algumas calorias". Viemos, então, a pé, pela Marginal a apreciar a paisagem. Já que “tínhamos que desgastar o almoço”, que fosse com boas vistas…

Ao longo do nosso passeio vimos vários barcos, deslizando num dos maiores encantos do Porto e Gaia: o rio Douro. Chegadas ao Cais de Gaia, encontrámos, como é habitual, vários pontos de venda de bilhetes de outras tantas operadoras que fazem os cruzeiros pelas seis pontes ali existentes e eu pensei em algo que quis logo partilhar com a Maria João.

“E se fôssemos fazer a viagem de barco? A mamã já teve o privilégio de fazer, mas tu não e eu acho que vais adorar”, comecei por dizer. "Eu quero muito, sim, mamã, vamos", foi a resposta tão entusiasta e clara que a Maria João me deu. 

Não hesitei e pus-me em ação para comprar os bilhetes.

Bem-vindas (os) a bordo!

Nem cinco minutos passaram e já estávamos no barco. Escolhemos um lugar na frente para ter boa visibilidade. Estávamos ansiosas por vivermos uma experiência, que eu sabia, ir ser memorável. Mesmo eu, apesar de já ter feito a viagem, estava muito entusiasmada, pois era a estreia da minha companheira. 

À hora marcada, o barco deslizou suavemente pelas águas do Rio Douro e nós deixámo-nos arrebatar por um panorama único e visto de ângulos que só através do passeio de barco conseguimos ter: uma das mais belas paisagens, os casarios pitorescos, as Igrejas, a parte alta e a parte baixa da cidade e a azáfama das gentes, tanto do lado do Porto como de Vila Nova de Gaia. Também eu estava numa roda-viva: queria ver, fotografar, apreciar a felicidade da Maria João e ouvir o guia a falar sobre as Pontes (históricas). 

Trata-se de um passeio admirável, com duração de cerca de 50 minutos, onde cada Ponte, para além de uma arquitetura distinta tem, também, uma história para contar.

Era nas águas do Douro, que navegavam os barcos rabelos que, partindo da Régua ou do Pinhão com as suas pipas de Vinho do Porto até ao cais de Gaia, e de onde os pescadores retiravam o seu sustento.  

Não é difícil perceber o motivo de o Centro Histórico do Porto, ser classificado como Património Cultural da Humanidade desde 1996.

As seis Pontes que contam histórias e unem culturas

A Ponte D. Luís I, construída em 1886, é a ponte mais antiga da cidade que permanece em atividade e é um dos pontos mais emblemáticos da cidade do Porto. Esta Ponte é a primeira das seis que passámos. 

Neste momento está em obras, mas é a principal ligação entre o Porto e a cidade vizinha de Vila Nova de Gaia. O responsável pela sua construção é Théophile Seyrig, que a construiu sob ordens do Rei Luís I, que lhe dá nome. 

De seguida admirámos a imponência do Mosteiro da Serra do Pilar, bem lá no alto, que salta à vista. 

Seguimos viagem e passámos por baixo da Ponte Maria Pia, construída entre janeiro de 1876 e 4 de novembro de 1877, pela empresa de Gustave Eiffel. A ponte de ferro que faz a ligação entre Porto e Vila Nova de Gaia foi a primeira ponte do Porto das que hoje resistem, facilitando a ligação das duas margens, marcando, desta forma, a chegada da via-férrea à cidade Invicta. 

A Ponte de São João, que remonta a 1991, foi construída para substituir a Ponte Maria Pia.

A Ponte que se seguiu foi a do Infante, batizada em honra do Portuense Infante D. Henrique, é a Ponte mais recente. Aqui o barco deu a volta para passar novamente por todas as pontes anteriormente mencionadas em direção ao mar e voltámos a ter uma vista incrível das duas cidades “juntas”.

Passámos pela última Ponte, a Ponte da Arrábida, e seguimos até à foz com o Atlântico.

Sabia que a Ponte da Arrábida tinha, à data da construção, o maior arco em betão armado de qualquer ponte do mundo, com 270 metros, e que a Ponte do Freixo é considerada a ponte mais a montante do rio, na cidade do Porto?

Para terminar o passeio em beleza fui ao Espaço Porto Cruz beber um Porto Cruz, oferta na compra do bilhete de barco.

O Rio Douro está à espera de quem o navegue, por isso embarque num cruzeiro pelas seis Pontes.

O Porto tem um lugar cativo no meu coração, de onde tenho muitas recordações felizes e que me enchem a alma. Desfrutar, mais uma vez, deste Cruzeiro fez-me regressar a casa de alma renovada e coração cheio. 


Comentários

Mensagens populares