Vila Velha de Ródão, um encanto natural

Adoramos conhecer sítios novos, nomeadamente, os cantos e recantos de Portugal. E, verdade seja dita, é um privilégio viver num país tão bonito e cheio de lugares mágicos e encantadores. De Norte a Sul não faltam locais para explorar, às vezes o difícil é mesmo escolher. 

A nossa lista de sítios a visitar/conhecer é bem extensa, por isso o melhor mesmo é partir à descoberta. E foi mesmo isso que fizemos. 

Fomos conhecer Vila Velha de Ródão, uma pérola desconhecida para nós, mas que nos cativou desde o primeiro minuto. Coloque já na sua lista de destinos a visitar. Sim, é uma ordem e que deve cumprir. Vale mesmo a pena, palavra de viajantes!

Pegue no bloco de notas, numa caneta ou se preferir nas notas do telemóvel e aponte todas as dicas para preparar a sua visita. Depois, é só deixar-se levar, com muita calma, pois é este ritmo mais brando que se sente por lá, pelos diversos encantos de Vila Velha de Ródão que estão à espera de serem explorados. Prometemos que será inesquecível. 

Estão a postos? Três, dois, um...seguimos viagem. 

Deixe-se envolver pela beleza paisagística

Estava um dia tórrido, é caso para dizer que fomos calorosamente recebidas, e à medida que nos aproximávamos do nosso destino a temperatura do termómetro do carro subia cada vez mais. Chegadas ao nosso destino, rumámos ao Cais Fluvial de Vila Velha de Ródão. Trata-se de um espaço muito aprazível, sossegado e complementado com uma agradável área de lazer. 

Pairava um sossego e sentia-se uma calmaria como que a convidar os visitantes a abrandar e a saborear os encantos da região. 

Embaladas por este ritmo vagaroso, fomos à mala do carro, tirámos a cesta com o piquenique, estendemos a manta, à sombra, claro, e com uma vista privilegiada para o rio Tejo e para os barcos que estavam atracados à espera dos passageiros para o passeio pelo Monumento Natural Portas de Ródão, demos então início ao piquenique. 

[Um parêntesis para informar que para além do Parque, excelente para quem gosta de fazer piqueniques e não só, existe o Restaurante “Vila Portuguesa”]. 

Enquanto saboreávamos a merenda fomos conversando sobre como seria a nossa viagem de barco. “Eu estou tão entusiasmada, mamã”. “Achas que vamos no barco maior ou no mais pequeno?”

O nosso passeio estava marcado para as 16h00, mas a Maria João ao ver os passageiros a entrar para o barco, numa viagem na hora de almoço, questionou-me se não podíamos ir mais cedo. Tive que explicar que tínhamos que esperar e ir na nossa hora, mas que o tempo ia passar muito rápido. 

Vila Velha de Ródão: um tesouro “escondido” na Beira Baixa 

É entre o contraste da terra e do Rio Tejo que Vila Velha de Ródão é marcada. É detentora de uma paisagem única e deslumbrante, onde abundam os recursos naturais e “é casa” de várias espécies de fauna e flora. 

Uma curiosidade: sabia que Vila Velha de Ródão garantiu a sobrevivência das primeiras populações humanas que, desde a pré-história, se fixaram na região? 

Três pontos de interesse turístico em Vila Velha de Ródão:

  • Passeio de barco pelas Portas do Ródão

Apanhámos o barco no Cais Fluvial de Vila Velha de Ródão e, durante cerca de 50 minutos, desfrutámos de um passeio mágico pelo emblemático e incrível Monumento Natural Portas de Ródão.

Sabia que as Portas de Ródão, uma referência incontornável na paisagem, servem de habitat para a maior colónia de grifos do país? Neste lugar privilegiado podem ser observadas 116 espécies de aves, muitas delas consideradas em vias de extinção e algumas raras.

Passar por entre as duas paredes escarpadas, cada uma com cerca de 170 metros, que funcionam como portas impressiona pela imponência e beleza do lugar.

Ao longo da viagem, inspiradora, os olhos colam-se no céu e nas escarpas para ver a vasta colónia de grifos. E que sorte que tivemos, pois conseguimos ver os grifos no seu habitat natural a alimentarem as crias e quando menos esperávamos, levantam voo e começavam a planar. Foi uma experiência única que está gravada na nossa memória.

No dia seguinte a termos visitado Vila Velha de Ródão a Maria João quando acordou disse que era um grifo e começou a fazer, com as mãos, o gesto como se estivesse a voar. Foi um momento hilariante que conseguiu arrancar uma gargalhada logo pela manhã. 

Fazer o passeio de barco pelas Portas do Ródão é uma ideia incrível que vai fazer (muito) felizes miúdos e graúdos e permite um maior usufruto da paisagem natural. 

  • Castelo de Ródão ou Castelo do Rei Wamba

É numa escarpa sobranceira ao Tejo, e numa harmonia perfeita entre uma vista magnífica e surpreendente e um legado histórico, que se ergue o Castelo do Rei Wamba. 

Segundo as lendas, que o associam ao Rei Visigodo, acredita-se que a sua origem remonta ao período da Reconquista Cristã, uma época em que a torre atalaia remanescente terá sido erguida para garantir a defesa dos territórios conquistados aos muçulmanos.

Através de um Miradouro, instalado nas proximidades do Castelo, contemplámos, mergulhadas no silêncio, a paisagem deslumbrante sobre o Vale do Tejo e sentimos que estávamos perante um cenário mágico. Testemunhar tamanha beleza é, sem dúvida, um privilégio. 

  • Miradouro Portas de Ródão 

É bem à face da Estrada Nacional 18 - Vila Velha de Ródão e Nisa, que está localizado, o Miradouro com uma vista muito privilegiada para aquelas que são consideradas uma referência geográfica e incontornável, um símbolo e identidade da região: as Portas de Ródão, com localização nas duas margens do Tejo, nos concelhos de Vila Velha de Ródão e Nisa.

A partir deste ponto é possível ver, bem lá no alto, o Castelo do Rei Wamba, a ponte metálica, o Monte de São Miguel de Nisa e a linha de comboio. "Mamã, queria tanto ver um comboio a passar, olha que ia ficar uma fotografia muito bonita". Ao que respondi: "Tens toda a razão meu amor, eu também gostava, mas acho que não vamos ter essa sorte". Gostava de estar enganada, mas, infelizmente, estava certa. O comboio não passou, mas desfrutámos de uma paisagem esplêndida. E isso é que importa. 

Depois de conhecermos Vila Velha de Ródão, voltámos muito felizes e encantadas, mas com a certeza que queremos (muito) voltar e até já temos quem nos faça um roteiro pela região, a Ana e o Luís do Blog Nós e o Mundo. Muito obrigada, companheiros de viagem. Que privilegiadas que somos.  

Deixe-se fascinar pelos segredos apaixonantes deste território, onde os encantos naturais, as memórias e as origens são o melhor cartão de visita. 

Inspire-se e deixe-se surpreender!

Comentários

  1. Sem dúvida uma região com muito para conhecer. E teremos todo o gosto em fazer o roteiro da próxima visita. 😘

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Beira Baixa é, sem dúvida, uma região que tem muito para oferecer e nós queremos muito voltar para conhecer novos lugares encantadores. Ter a vossa ajuda com o roteiro para a próxima visita é um privilégio. Muito obrigada, desde já.

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares