Provesende: em comunhão com o passado e o presente

Em tempos disseram-me "tens que ir conhecer Provesende. É a tua ´cara'". Passaram-se vários meses, mas desde esse dia que esta frase andava a matutar na minha cabeça. Claro que não descansei enquanto não fui/fomos conhecer.

É óbvio que quem me disse tinha razão. Provesende surpreende logo à primeira vis(i)ta.

A região do Alto Douro Vinhateiro (Património Mundial), a mais antiga região vitícola regulamentada do mundo é onde se situa esta povoação pertencente à União de Freguesias de Provesende, Gouvães do Douro e São Cristóvão do Douro no concelho de Sabrosa. É sempre uma zona com um encanto fenomenal em que apetece estar sempre a (re)visitar.  

Eram 10h15 quando chegámos a esta Aldeia de Portugal e as ruas (ainda) estavam em silêncio.

Mas à medida que nos aproximámos da Igreja Matriz, vimos vários residentes a conversar entre si e mesmo por entre as máscaras, foi possível ver o quanto estavam vaidosos da sua terra. E não é para menos, Provesende é um encanto. Esta Aldeia Vinhateira do Douro é muito acolhedora e com gente muito afável.

A hora da missa estava a aproximar-se mas ainda houve tempo para fazer uma visita à Igreja. E que bonito local de culto. O trabalhado em cor dourado sobressai à vista e o órgão de tubos é apaixonante. Contemplámos e rezámos. Somos pessoas de Fé.

O relógio ainda marcava as 11h00, mas o calor que já se sentia aquela hora fazia prever um dia muito quente por terras durienses. Fomos então até à Fonte Velha, molhar as mãos na água fresca.

Em seguida, palmilhámos, calmamente, as ruas típicas e apreciámos o património único desta aldeia muito bem preservada e cuidada, onde a manutenção da identidade, casas nobres e solares, certificam o poder da região.


Respirámos fundo, absorvemos tudo a que tínhamos assistido e seguimos em direção ao carro para nos perdermos pelas curvas e contracurvas durienses até ao Pinhão.  

Quando visitar Provesende tem de conhecer/fazer:

Fonte Velha

De estilo barroco, a sua construção remonta ao ano de 1755. É composta por duas bicas com carranca e de formato retangular.

 Pelourinho

Foi construído em 1578 e simboliza a liberdade Municipal. Desempenha o exercício do direito e da justiça, certificando a antiguidade e o poder de Provesende.

Igreja Paroquial de Provesende

Devido à sua monumentalidade e decoração está considerada como uma das jóias do património religioso do Douro Vinhateiro.

A atual Igreja (século XVIII) foi construída no local da anterior que era muito mais pequena. A construção (cantaria e coberturas) é maneirista (1721 a 1756), e a decoração interior é barroca (1757-1795), apresentando nas suas talhas e pintura do teto, traços joaninos, josefinos e rococó.

Casas Senhoriais e Brasonadas

São uma obra de referência da imponente arquitetura portuguesa e ao mesmo tempo são uma memória viva dos feitos nobres.

Capela

A criação deste templo religioso remonta aos séculos IV ou V, à fase final do império romano. A Capela de Santa Marinha foi um templo pagão, cristianizado pelos godos.

Trilho de São Cristóvão do Douro

É um percurso de dificuldade fácil, com quatro quilómetros (oito, ida e volta) e ótimo para se fazer em família, crianças incluídas. 

O início tem lugar na Igreja de Provesende e o fim na ponte romana do Pinhão. Ao longo da caminhada é possível apreciar uma paisagem deslumbrante e ter um contacto direto com a cultura da vinha.


Provesende ficou na nossa memória e vamos querer voltar.

Procura um destino diferente dos habituais para ir nas férias de Verão ou para uma escapadinha de fim-de-semana? Aqui tem a solução.

Não perca os seguintes artigos onde fica a saber tudo sobre mais duas Aldeias de Portugal: Quintandona, em Penafiel e Lugar da Rua, em Amarante.

- Quintandona, uma Aldeia de Xisto encantadora

- Lugar da Rua: onde a simplicidade encanta



Comentários

Mensagens populares